Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lavandaria

por Jorge Fiel

Lavandaria

por Jorge Fiel

Qua | 27.05.09

Quero informar-vos que entrei num período de reflexão sobre o sentido que faz coleccionar livros

Jorge Fiel

Mantendo-me no tema dos livros, mas saltando para o depois, entrei num período de séria reflexão sobre o sentido que faz coleccionar livros.

Li três vezes O que diz Molero, do Dinis Machado, e sou capaz de reler todos os livros da série Wilt, do Tom Sharpe.

Dá sempre muito jeito ter à mão o Dicionário de Língua Portuguesa da Porto Editora.

A História de Portugal dirigida pelo Mattoso fica bem em qualquer estante se bem que, manifestamente, não tenha sido desenhada para ser ma obra de consulta.

O Google Maps funciona muito bem, mas não dispensa um (ou até mesmo vários) bom e velho Atlas, em papel.

A Wikipedia é fácil e rápida de consultar, mas não é por isso que me vou desfazer das bonitas lombadas vermelhas dos 24 volumes da Enciclopédia Ilustrada Larrouse.

Até aqui tudo bem. Mas será que alguma vez vou reler a Introdução ao marxismo, de Ernest Mandel (edições Antidoto), os Cravos de Varsóvia, de Michel Germont (Edição Europa-América), ou o Vagabundo Filósofo, de Maximo Gorki (Edição Civilização)?

Qual será o sentido de andar a transportar estas relíquias às costas?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.