Sábado, 28 de Fevereiro de 2009

A maldição "Ana, Ana és tão boa!!!" e uma anedota que o Eduardo Gageiro me contou em Nova Iorque

A autora (Ana Anes) numa foto que tem todo o aspecto de ser do Luiz Carvalho , mas afinal não é dele, mas sim do Didelet

 

“Gostava que alguns dos meus ex-namorados tivessem em vez da maldição comum e pouco criativa da pós separação, da impotência ou da ejaculação precoce, a maldição de estarem na cama com as futuras ‘sejam- lá- o- quê’ e só lhes chamarem o meu nome e não sair outra coisa da boca deles a não ser ‘Ana, Ana és tão boa!!!!” e, lá está, se fosse em momentos de clímax a gerência ficava muito grata’”.

Sete anos de mau sexo, Ana Anes, página 156

A natureza humana é vingativa.

Por isso mesmo, compreendo, mas não apoio (e até censuro) o lançamento pelas mulheres ultrajadas de maldições soezes sobre os ex- , tais como as sumariamente descritas pela autora (apesar de tudo a maldição da ejaculação precoce parece-me mais suave e aceitável do que a da impotência).

A autora não se revela ser uma vingadora da linha dura. Até me parece light a maldição de os seus ex- tratarem, na cama, pelo nome dela as suas sucessoras (as tais "sejam-lá-o-quê", expressão abrangente onde se podem incluir amantes, namoradas, fadas do lar, one night stands, amizades coloridas e ofícios correlativos).

Tenho a certeza que ao longo da minha vida, na hora da despedida,  nunca desejei embaraços desses a nenhum das minhas ex-. Mas cada qual é como cada um e as mulheres são diferentes dos homens e, em certo sentido, é magnífico que assim seja.

O facto de Ana ser um nome relativamente comum conspira a favor da autora, já que a sua maldição/fantasia pode ser contornada com alguma facilidade pelos seus ex- . Basta-lhes encontrarem uma outra Ana e a maldição fica sem efeito (se a autora se chamasse Hermengarda esta maldição seria muito muito mais terrível).

Podem urrar “Ana, Ana és tão boa!!!” enquanto se explicam e não arranjarem por isso qualquer tipo de problemas.

PS:. Estive pela primeira vez em Nova Iorque em 1987, a convite da TAP. Andava às compras com o Eduardo Gageiro (adquirimos juntos o nosso primeiro vídeo, um Panasonic) quando ele me perguntou :

“ Sabes o que é que diz uma gaja depois de ter dado uma queca fabulosa?”

Disse-lhe que não e ele respondeu:

“Obrigado Gageiro”.

música: L'amour en fuite, Alain Souchon
Tags: ,
publicado por Jorge Fiel às 18:08
link do post | favorito
De ana anes a 1 de Março de 2009 às 07:50
Xuxu! a foto é do didelet. e venho te dar um raspanete pq nao me ligaste e nao estas no face!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

preciso de falar ctg! mi liga vai!

ps: nao preciso de dizer outra vez que os teus textos sao hilariantes...
Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Pesquisar este blog

Entradas recentes

Lavandaria está agora a c...

Moscas anunciam chegada d...

Apaixonei-me pela Bona, a...

Uma folha A4 dobrada em 4...

O café do Europeijska não...

mais comentados

últ. comentários

concordo!!! Adoro fazer sexo anal
nao só os homens gostam!!! Adoro essa forma de fa...
Há uma boa forma de distinguir um do outro; é ir à...
Tive conhecimento deste vinho," monte ermes", tint...
Num passeio à Ribeira lembrei-me de recordar algum...

Arquivos

Abril 2012

Março 2012

Outubro 2011

Agosto 2011

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Maio 2006

Tags

todas as tags

blogs SAPO

Subscrever feeds