Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lavandaria

por Jorge Fiel

Lavandaria

por Jorge Fiel

Ter | 24.02.09

Tudo se resume a uma questão de má lingua

Jorge Fiel

 

“E todos eles convencidos que são ‘os maiores’ nesta lide particular (o minete). Burros! Ora, da mesma forma que nós, grandes falsas, esperneamos, dizemos ’ Ahhhh! Sim! Huuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuum!’ e fazemos gestos tipo canal 18 a fingir um orgasmo, o mesmo fazemos quando nos estão a meter a cara entre as pernas. Assumindo uma posição tipo drª  Ruth  - é o que me chama a minha editora, a minha querida Joana Petiz -  arrisco dizer que 80% dos homens fazem um minete como um São Bernardo a lamber as vítimas perdidas na neve. Lambe, lambe, lambe…sem saber porquê, para onde e porque raio lambe”

Sete anos de mau sexo, Ana Anes, página 136

 

Como as preclaras e preclaros mais atentos já devem ter reparado, desapareceram as imagens da revista Gina e das BD Clic, de Manara, e História de O, de Crepax, que ilustravam  a esmagadora maioria dos posts desta Enciclopédia Ilustrada do Sexo, que tenho vindo a publicar em fascículos, com uma regularidade impressionante e o sacrifício de partes não negligenciáveis do meu tempo livre e reputação.

A enciclopédia deixou de ser profusamente ilustrada porque essas fotos (as que se evaporaram) estavam alojadas no Flickr (um serviço do Yahoo, um motor de busca que ainda consegue ser mais decrépito do que eu), de que fui excluído, presumo que por indecência, por uma alma gémea do procurador de Torres Vedras que emergiu do anonimato este Carnaval.

O que se me oferece dizer é que estou profundamente convencido que o responsável pela essa minha exclusão é ainda mais incompetente a fazer minetes que o São Bernardo referido pela autora (numa imagem poderosíssima, sublinhe-se!), chucha no polegar às escondidas e censuraria, por pornografia, o mais famoso quadro do Courbet.

Apesar disso, o reino dos Céus será dele – e de todos os outros pobres de espírito bem aventurados.

Simbolicamente atiro-lhe um tomate podre a ele - e um ovo (também podre) ao yahoo. Se preferirem, pode ser ao contrário. E faço minhas as palavras do Einstein.

Ao fim e ao cabo, tudo se resume a uma questão de má língua.

Pedindo desculpa a todas as preclaras e preclaros pelo tom algo avinagrado deste post, paro por aqui e vou fazer horas para o jogo do Porto lendo mais umas páginas do emocionante Criado Secreto do Daniel Silva.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.