Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lavandaria

por Jorge Fiel

Lavandaria

por Jorge Fiel

Ter | 02.12.08

A Stoli é boa, mas a Zubrowka ainda é melhor

Jorge Fiel

 

Os maiores especialistas vivos no grande cisma da vodka dizem que as polacas (as vodkas, não as mulheres, bem entendido) são mais oleosas e têm sabor e aroma mais acentuados e adocicados, sendo mais suaves que as russas, que queimam na garganta.

Devem ter razão. Eu devo dizer que historicamente sempre me dei bem com a Stoli russa, e até fiquei fã de uma sua versão com aroma e sabor a frutos silvestres que comprei em Moscovo no ano passado.

Gostei tanto desta Stoli que até estou surpreendido com o facto da garrafa de um litro resistir ainda com algum liquido dentro (1) no congelador do frigorífico do meu apartamento de São João do Estoril. É um milagre que pede meças às aparições em Fátima da Virgem Maria aos pastorinhos.

Na minha segunda expedição à Polónia, que decorreu sob o alto patrocínio do Millennium BCP, foi apresentado à Zubrowka e devo dizer que se tratou de um coup de foudre – um amor ao primeiro trago, uma paixão que tem resistido à voragem dos difíceis tempos que atravessamos.

A Zubrowka ostenta um bisonte nos seus rótulos (já apanhei pelo menos com três diferentes), numa alusão clara ao facto do seu sabor distinto  (e distintivo) se dever ao uso na confecção da erva do parque de Bialowieza, onde pastam os bisontes.

Há uma versão da Zubrowka  (presumo que a mais cara) em que vem dentro da garrafa, em ameno e pacifico convívio com a vodka, um pequeno pedaço do pasto dos bisontes.

Resumindo. A Stoli é boa. A Stoli com aroma e sabor as frutos silvestres ainda é melhor (2). Mas a Zubrowka é uma experiência a não falhar, podem crer, e que está ao alcance de todas as preclaras e preclaras já que começou a fazer aparições nas prateleiras dos Pingo Doce. 

 

Ora aqui está a erva que dá aquele gostinho especial à Zubrowka
 

(continua)

……………….

(1) Calculo que resistem ainda uns bons 0,2 dl da Stoli aromatizada, mas sei que estou a escrever asneira porque por razões que em escapam em absoluto as doses de vodka são medidas ao peso  -  em gramas.

 

 

(2) Sinto-me um émulo do enorme Tino de Rãs, cujo grande hit musical tinha um refrão em que ele cantava: “pão com manteiga é bom: com fiambre ainda é melhor”.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.