Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lavandaria

por Jorge Fiel

Lavandaria

por Jorge Fiel

Qui | 27.11.08

Uma fortaleza chamada Nowa Huta

Jorge Fiel

O desenho de Nowa Huta, projectada para facilmente se transformar numa fortaleza inexpugnável

O capitalismo planificou, a partir do zero, cidades como Brasília e Camberra, concebidas para serem as capitais dos respectivos países. Já fui a Camberra (e gostei) e nunca fui a Brasília (mas gostava muito de lá ir)

O comunismo, versão URSS, planificou, a partir do zero, cidades como Nowa Huta e  Magnitogorsk (nos Montes Urais) para glorificar, "urbi et orbi", a superioridade socialista. Já fui a Nowa Hutta (e achei piada, a mesma piada que acho quando vou ao Jardim Zoológico) e nunca fui a Magnitogorsk (e não faz parte dos meus planos ir lá).

Nowa Huta é duplamente bastarda. É uma filha bastarda do pós guerra e de Cracóvia. Como nada me move contra os bastardos, investi uma tarde da minha estadia na terra dos polacos a visitá-la.

Não me arrependi, se bem que não tenho a certeza se, depois da noite cair, seria muito seguro andar a passear-me pelas suas avenidas largas e densamente arborizadas.

A cidade ideal para os comunistas polacos, foi desenhada a pensar num eventual aquecimento da Guerra Fria e daí a largura dos seus arruamentos (que visava impedir o alastramento de incêndios provocados por bombardeamentos) e a imensa arborização (que visava absorver parcialmente os danos de uma explosão nuclear).

Destinada a ser uma amostra da nova cidade socialista, Nowa Huta foi desenhada com o cuidado de poder ser facilmente transformada numa fortaleza inexpugnável em caso de invasão pelas tropas imperialistas da Nato.

A sua arquitectura majestosa impressiona, mas é curiosa aos olhos de um leigo como eu a grande afinidade que liga o gosto nazi, soviético e do Estado Novo português.

A entrada do Parque Gorki, em Moscovo, o que resta da arquitectura nazi, em Berlim, o Palácio da Justiça, do Porto,  e Nowa Huta, em Cracóvia,  apresentam-se perante os meus olhos como variantes de uma mesma escola de arquitectura.

Já a arquitectura fascista (estou a lembrar-me por exemplo da estação Termini, em Roma), apesar de comungar do mesmo gosto pela imponência e grandiosa monumentalidade, deixa-nos ficar na boca um sabor bem mais moderno e atraente.

Aspecto de Nowa Huta

 

(continua)

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.