Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Lavandaria

por Jorge Fiel

Lavandaria

por Jorge Fiel

Qua | 19.10.11

O homem dos selos e o astuto vendedor de caviar

Jorge Fiel

 

À saída do Hermitage, quando me tentaram vender selos e caviar (seria?), adoptei o modo que reservo a arrumadores e pedintes entocados em semáforos – faço de conta que não é nada comigo, enquanto abano a cabeça e sigo em frente.

A história acabaria aqui, se o vendedor do alegado caviar não me tivesse desarmado a guarda com a pergunta fatal “Where are you from?”.

3-1, dito em português, foi a resposta que ele me deu, com um sorriso nos lábios, quando lhe disse que era de Portugal. 3-1 foi o resultado com que o Zenit derrotou o FC Porto em S. Petersburgo.

Lembrar uma derrota dos nossos não me pareceu boa política comercial para quem tentava impingir-me um lata de caviar (seria mesmo?), mas quem vende tem de ter a manha e astúcia necessárias para desbloquear estes pequenos impasses.

3-0 acrescentou, precisando estar a falar do resultado com que o FC Porto ganhou a sua última Champions, derrotando o Mónaco na final de Gelsenkirchen – com um golo do russo Alenitchev, lembrou o vendedor.

Não foi ele, mas o vendedor de selos, quem lucrou com esta esperteza à Tom Sawyer. O meu colega Couto Soares pediu-me para lhe levar selos, e o parceiro do astuto vendedor de latas de caviar (nunca saberei se seria mesmo caviar) aproveitou o diálogo para ir mostrando um álbum de selos bem apresentado e razoavelmente guarnecido de selos da era soviética. Começou por pedir mil rublos. Fui ao bolso quando ele desceu para 500. Espero que o Couto Soares goste.