Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lavandaria

por Jorge Fiel

Lavandaria

por Jorge Fiel

Sex | 25.09.09

South London by bus e a verdadeira explicação para os barcos como o Cutty Sark serem mulheres

Jorge Fiel

29.06.06, 5ª feira

16h00. Apanhei o 118 para Greenwich. Primeiro fui no 68 de Euston Station para Waterloo, onde mudei para o 118, que podia muito bem ter apanhado em Russel Square, onde começa a linha.

South London by bus. A viagem durou quase uma hora. Chegado a Greenwich visitei o Cutty Sark, que tem uma costela portuguesa, pois foi este veleiro foi vendido, por 2 100 libras, à firma portuguesa Ferreira (a dos vinhos, que agora pertence à Sogrape e foi fundada pelo Dona Antónia), algures no final do século XIX, quando os navios a vapor se preparavam para tornar obsoletos os barcos à vela.

É fantástica a colecção de figuras de proa que estão em exposição na parte inferior do navio. Comprei a primeira prenda, a caneca da ordem para o Pedro, por 4,5 libras - e ajuda a financiar as obras de recuperação do Cutty Sark.

Curioso o tempo que o vapor demorou a derrotar a vela. A principio, a carga de carvão era tão pesada que os navios ficavam mais lentos que os veleiros – o Cutty Sark foi mais rápido que o Britannia, demorando apenas 77 dias numa viagem de regresso das Austrália.

Na loja do barco estava à venda um pano a explicar porque é que e inglês os navios são she e não he - têm sempre uma data de homens à volta deles, precisam de um homem para os dirigir e assim por diante.

A febre das bandeiras nacionais nas janelas e carros, pegada por Scolari no Euro 2004, já atravessou a Mancha e chegou a Londres …

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.