Quarta-feira, 25 de Março de 2009

A breve história do meu amigo C. Santos que tem a vida dele toda regulada pelo fuso horário polaco

Tenho um amigo, o C. Santos, que é alérgico às horas e geneticamente incapaz de comparecer a um encontro com um atraso inferior a duas horas – ou seja está regulado pelo fuso horário de Varsóvia.

Conta-se que ele já cometeu a proeza de chegar mais de um dia atrasado a compromisso com um cliente - sublinho que ele estava na ingrata posição de vendedor, ou seja o interesse era dele, o que por si só atesta, no meu entender, estarmos na presença de um atraso perpretado de boa fé na cara do pagante e e não uma falta de respeito pelo desgraçado que tinha de aguentar e calar, com um sorriso nos lábios, para ver se conseguia impingir-lhe o servicinho.

Até eu tomar conhecimento da ocorrência deste atraso superior a 24 horas (confirmado por várias fontes), eu estava intimamente convencido que problema do Santos consistia no facto do seu relógio interior ter sido regulado na origem para ele funcionar noutro fuso, mais a Leste (o já referido fuso polaco) e que tudo se resolveria se ele, por exemplo, fosse exportado para a Rússia.

Em Moscovo, atrevia-me eu a pensar, o Santos até seria capaz de chegar um bocadinho antes da hora marcada para um determinado compromisso.

Mas toda esta minha teoria benevolente foi arrasada como um castelo de cartas pelo atraso superior a um dia. Fiquei convencido que o assunto não se resolveria mesmo que o Santos fosse transplantado para Brisbane.

Neste momento, tendo a olhar para estes pantagruélicos atrasos como uma manifestação de uma terrível doença incurável.

Da mesma maneira que há pessoas que não conseguem evitar roubar (ou seja são cleptómanas), também há gente, como o Santos, que não conseguem cumprir horários (ou seja são cleptómanas do tempo dos outros).

 

música: I never thought my love would leave me, June Tabor
Tags:
publicado por Jorge Fiel às 18:08
link do post | comentar | favorito

Eu ao espelho


Nasci em Maio de 1956 na Maternidade Júlio Dinis. Fiz a primária no Campo 24 de Agosto e o essencial do liceu (concluído entre o Nobre e Gaia) no Alexandre Herculano. Entre os 15 e os 21 anos fui militante da LCI. Li quase tudo que o Marx, o Lenine, o Trotsky e a Rosa Luxemburgo escreveram.
Ler mais

Pesquisar este blog

Entradas recentes

Lavandaria está agora a c...

Moscas anunciam chegada d...

Apaixonei-me pela Bona, a...

Uma folha A4 dobrada em 4...

O café do Europeijska não...

mais comentados

últ. comentários

Há uma boa forma de distinguir um do outro; é ir à...
Tive conhecimento deste vinho," monte ermes", tint...
Num passeio à Ribeira lembrei-me de recordar algum...
prática do sexo anal estaria aumentando?Embora no ...
O autor deste artigo de peixe não sabe nada, por i...

Arquivos

Abril 2012

Março 2012

Outubro 2011

Agosto 2011

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Maio 2006

Tags

todas as tags

blogs SAPO

Subscrever feeds