Quinta-feira, 11 de Dezembro de 2008

Um prenúncio da queda do Muro de Berlim

No último meio século tenho sido testemunha ocular das profundas mudanças ocorridas na geografia interna dos lares portugueses.

Quando eu era miúdo, era normal um apartamento ter uma salinha de visitas (uma coisa ao estilo das salas de espera dos dentistas), uma sala de jantar e uma sala de estar.

Este espartilho especializado não resistiu ao ventos hippies e comunais dos Anos 60, e num movimento de derrube de paredes (que pode muito bem ser visto como um prenúncio da queda do Muro de Berlim, em 1989) estas três divisões fundiram-se numa só, denominada Sala Comum.

Só posso aplaudir este movimento, que até tem sido aprofundado nos casos extremos dos T0 e dos lofts.

Na organização interna dos espaços domésticos, registo também com agrado que os quartos tenham vindo a perder área e importância em benefício da sala comum.

Mas já no que concerne à casa de banho a minha posição é favorável a uma especialização de divisões.

música: Momento, Pedro Abrunhosa
publicado por Jorge Fiel às 18:08
link do post | comentar | favorito
38 comentários:
De Observador a 11 de Dezembro de 2008 às 18:15
Este jornaleiro é de facto um especialista em assuntos de merda. Tudo o que escreve acaba nisso.
De Jorge Fiel a 12 de Dezembro de 2008 às 19:39
Preclaro Espreita

Será o meu preclaro amigo capaz de me elucidar sobre quem é que terá morto o Berto Maluco?

A bem da Nação!
De Tibetana a 11 de Dezembro de 2008 às 19:54
muitas vezes os homens, quanto à divisão espacial de uma casa, unicamente pensam no valor do metro quadrado; Evidentemente que houve uma diminuição nos quartos de dormir, e aumento no espaço comum....mas as evidências demonstram que a cozinha pode compartilhar deste espaço comum, principalmente qdo é apreciado receber informalmente amigos e existem tendências a serem "gourmets"...outras nem tanto, a vida longe de casa, faz a cozinha minúscula e pratica, pois os restaurantes existem...

Qdo há filhos adolescentes, o quarto é uma espécie de quartel general, deve ter mais uma cama, lugares para jogos online e computador e som!!! e uma porta, pois ela muitas vezes não abre!

Porem concordo que uma divisão, lavabo, banho e mais uma dependência (com janela!) é actual e moderna!
Boa sorte .



De Jorge Fiel a 12 de Dezembro de 2008 às 19:42
Preclara Tibetana

Estou de acordo com a integração da cozinha na sala preconizada pela minha preclara amiga.

A bem da Nação!
De Anónimo a 11 de Dezembro de 2008 às 23:24
Eis uma questão de suma importância. Só uma besta (pouco ou nada Observadora), alheada da realidade, não entende que daqui decorrem problemas com grandes repercussões sociais, espirituais, políticas, éticas, morais, económicas e, sobretudo, culturais.

Em todas as sociedades, é fundamental a organização espacial da casa, ou do lar, o que redunda em consequências no ser, ente, e na família (comunidade ou ecclesia), que implicam tipos de sociedade radicalmente diferenciadas.

Veja-se a diferente enorme que existe das nossas casas para as protestantes (nórdicas, sem cortinas), para a casa britânica (geralmente com a parte social em baixo e a parte privada em cima), para a casa burguesa francesa (com quartos de vestir e copas generosas, embora com pouco requinte ao nível do WC, o que diz bem da característica aversão francesa à água), ou a diferença face às casas espanholas e italianas, que mantêm um anexo destinado a visitas.

Mas a questão da "geografia interna", que é uma expressão com o seu quê de caricato se conjugarmos arquitectura com funcionalidades fisiológicas, é ainda mais interessante no capítulo do WC.

Como o autor do blog sugere - e muito bem!! - nada como ter a coisa compartimentada, como quem reparte o mal pelas aldeias. Primeiro a separação do WC social dos que são utilizados pela casa. E a separação de águas é vital. Não se vê que o muro de Berlim tenha sido aqui derrubado. Retrete com enlevo, onde seja notada maioridade e autonomia, tem divisões. Quem gosta de música deve ter condições para ouví-la em alturas únicas (até a ordenha de frisias de fartas tetas tem direito a esta privacidade musical), tal como quem tem deleite a ler em momentos cru-ci-ais deve ter um espaço condigno onde mantém a literatura que fica à mão de semear.

Este excelente post levar-nos-ia a um debate verdadeiramente elevado, muito longe do que sugerem espíritos tacanhos que;
- por cegueira, não sabem ler jornais;
- seriam sequer alguma vez - nem na próxima encarnação - capazes de tergiversar a redacção de duas ideias seguidas;
- virão de agregados familiares em dificuldades, onde falhou o trabalho de inserção social (eu sei que a mãe não tem culpa...);
- e que não têm na sua profissão a possibilidade de ser glosados com a imagem irónica do jornaleiro, que, na realidade, é uma profissão tão nobre como a de médico.

Bem haja pela prosa!!
De Tibetana a 12 de Dezembro de 2008 às 12:09
Nossa!!!!! parabéns!
Se for mais a fundo, existe em Lisboa, um viaducto de águas, não sei o nome, que espelha bem a questão da divisão que sugere.
Foucoult entre outros escreve sobre a temática, de organização das cidades, cemitérios e hospitais..e prisões e sistema de quarentenas..
A casa acompanha realmente a cultura da comunidade em que está inserida, os materiais utilizados etc etc , um prato cheio.
De Observador a 12 de Dezembro de 2008 às 23:27
Arre que é burra!!!
De Tibetana a 13 de Dezembro de 2008 às 11:21
hum, está bem, como queira.. mas poderia conceder um pouco mais da sapiência que possui, para que eu possa modificar o estado em que posicionas quanto à minha pessoa? mas, com calma, tranquilamente, ok!
Afinal, qualquer texto escrito, via virtual, ou em jornais, digamos assim, suscita naquele que "passa rapidamente "um olhar, diversas ideias, contextos diferenciados, e opiniões diferenciadas.
Na verdade poderia alongar a questão do WC único ou em divisão, à questão de restrição moral, além da higienista, das diferenças sexuais. Este foi o olhar da "burra", mas afinal, disposta a aprender sempre, deixo aqui um pedido expresso, de que digite com calma, o seu ponto de vista, para que eu possa compartilhar do seu ponto de vista, e agradeço antecipadamente.
esteja claro que não estou em posição de ofendida, no caso, porém não gostaria de furtar-me a saber mais.
E mais, não conheço absolutamente ninguém deste blog.
De Observador a 13 de Dezembro de 2008 às 12:55
Como sabe, e sei que sabe, escreve lindamente e de tal forma que até faz inveja; é isso que muitas vezes me move nas "provocações". Porém, «existe em Lisboa, um viaducto de águas, não sei o nome»...
De Tibetana a 15 de Dezembro de 2008 às 20:38
Preclaro JF, peço-lhe licença para responder ao Observador!!! :)

Preclaro Observador... que feio.. sim.. provocar-me...
E.. SE... solto eu na escrita os meus demónios.. e envio V. Ex. para aquele lugar.. comentários em ofensa, que cobrem quase todos os blogs.. que aconteceria??
Irias cair de onde estás alojado... ou, responderias blasfémias à altura... etc etc...
Hum???
Mas bem sabes que não é realmente a minha linha de conduta, pois!
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:45
Preclara Tibetana

Take it easy.

Deixo-lhe ficar para reflexão uma frase bonita, escrita por Aurélio Buarque de Holanda:

"Definir uma palavra é como capturar uma borboleta no ar"

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:43
Preclaro Observador

A Lavandaria não é a aula de Português do 11º ano. Relaxe, homem. Todos diferentes, todos iguais.

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:41
Preclara Tibetana

Nunca se esqueça que a ironia é um antídoto muito eficaz contra a loucura.

A bem da Nação!
De Tibetana a 19 de Dezembro de 2008 às 21:28
:)
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:39
Preclaro Espreita

O meu preclaro amigo já encarou a hipótese de se tornar benfeitor do Fundo Internacional para a Protecção do Burro?

Ter uma causa podia ajudar a sublimar as suas tendências agressivas....

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:37
Preclara Tibetana

Um prato cheio é sempre melhor que um prato vazio.

Um beijo bem dado é melhor que um coito apressado.

A vida é dura, como alguns bifes.

A bem da Nação!
De Tibetana a 19 de Dezembro de 2008 às 21:37
JF, não compliques sobre o tornar-se diferente em quarto de hotel.. digo, banheira..... ora é fácil.. as toalhas sobre o chão, a água, a conta da água, a limpeza, quem vai gerir ''e a empregada do hotel.....
bjokas..
é a liberdade sem compromisso das consequências.. ora viva!
De Jorge Fiel a 12 de Dezembro de 2008 às 19:52
Preclaro Anónimo

Devo agradecer as gentis palavras e a sugestão de um tema que terá de ser abordado (a questão das cortinas nos quartos é fundamental!).

Devo, ainda, confessar que a sapiência evidenciada pelo meu preclaro amigo me deixou um tudo nada embasbacado!

Muito obrigado!

A bem da Nação!
De Observador a 12 de Dezembro de 2008 às 23:30
Ai coitadinho!...
ahahahahah!!!
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:47
Preclaro Espreita

Bem aventurados os pobres de espírito. Deles será o Reino dos Céus.

Amen

A bem da Nação!
De Observador a 13 de Dezembro de 2008 às 10:14
Pois está convencido o meu caro que pelo facto de destilar toda essa verborreia se transformou num académico muito culto, pleno de razão, que vê o que mais ninguém vê não se coibindo de atacar quem nem sequer "falou" para si. Faz-me lembrar os campónios analfabetos que no tempo da guerra enriqueceram explorando volfrâmio que para mostrarem que tinham subido na vida e que eram diferentes dos outros, mais cultos, mais educados, ostentavam no bolso exterior do casaco um conjunto de canetas. Assim está o meu caro. Intervém onde não foi solicitada a sua intervenção e, qual volframista, também ostenta as suas "canetas".
Passe bem e leve as suas frustrações para junto dos seus amigos onde certamente brilhará; ouvirá, como aqui já "ouviu", "este sim, este sabe da coisa!" (não me estou a referir a merda porque isso é demais para si).
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:49
Preclaro Espreita

Quase na mouche. Acertou no meu analfabetismo. Falhou no campónio.

Sou um analfabeto urbano, nos dois significados que esta última palavra tem.

Nasci em 1956. Falhei, por isso, a vocação de volframista que o meu amigo detectou em mim.

A bem da Nação!
De Observador a 16 de Dezembro de 2008 às 21:20
JF
... não era consigo, preclaro! Está como resposta ao meu preclaro respondente asnódico.

Você quando quer ou está inspirado até é muito bom. Esta é, salvo melhor, a minha modestíssima opinião. De analfabeto não lhe detectei nada e, se você fosse campónio - o que não seria mal nenhum - continuaria a considerá-lo uma pessoa não só letrada como muito culta.

Aproveito este espaço para saudar a tibetana e pedir-lhe desculpa por qualquer coisinha mais a despropósito
De Tibetana a 19 de Dezembro de 2008 às 21:31
Ok... feliz natal..
De Jorge Fiel a 21 de Dezembro de 2008 às 08:51
Preclaro Observador

Assim é que é bonito. As pessoas fazem as pazes e caem nos braços umas das outras. Adoro o espírito natalício.

Paz na terra entre os homens e as mulheres de boa vontade.

Make love not war!

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:28
Preclaro Anónimo

Ainda a refazer-me da erudita lição que o meu preclaro amigo nos facultou no seu sábio comentário, agradeço-lhe a sugestão de dois temas que terei de abordar:

a) as leituras de casa de banho

b) as persianas no quarto

Muito obrigado!

A bem da Nação!
De Anónimo a 12 de Dezembro de 2008 às 00:59
O Observador dali de cima está com falta de Evelina Oboza. É típico... E depois deve ser vítima de agressão familiar. Como diziam os dadaístas, deve ser vítima de crueldade testicular.
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:31
Preclaro Anónimo

O preclaro Espreita precisa nitidamente de uma causa social a que se dedicar, como por exemplo a campanha Salvem os Porquinhos da India de Newchurch, em Staffordshire, na Grã-Bretanha.

A bem da Nação!

PS. Também pode ser isso da crueldade testicular. Mas para ter a certeza de que percebo a que se refere, só uma perguntinha. O meu preclaro amigo Anónimo está a insinuar que o Espreita só tem um tomate?
De Anónimo a 12 de Dezembro de 2008 às 01:00
Eu acho que ele não gosta de Oboza!
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:33
Preclaro Anónimo

E será que gosta do senador Palpatine?

A bem na Nação!

PS. Avento mesmo a hipótese do preclaro Espreita ser um ET oriundo do planeta Naboo
De Anónimo a 12 de Dezembro de 2008 às 01:00
Isso! Afaga tacos...
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:35
Preclaro Anónimo

Quando o meu preclaro amigo fala em afagar tacos está a insinuar que o Espreita joga no outro time e engole barras de sabão azul?

A bem da Nação!
De Anónimo a 12 de Dezembro de 2008 às 01:05
É pelo open space. O Observador tem faltado ao seu posto. Observa fogos reais com peças de artilharia. Tornou-se perito em balística.
Cuidado com o olho...

Eu acho que ele faz de propósito para levar com estas. Gosta de Magnuns 45 e biqueiras largas.
De Obserbador a 12 de Dezembro de 2008 às 23:34
Estava a pensar mandar-te para a put@ que te pariu, mas pensando melhor...
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:53
Preclaro Obserbador

Com que então apanhado a observar à moda do Porto?!!

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:52
Preclaro Anónimo

Não tenho a certeza que o open space seja pernicioso para o preclaro Espreita.

Acho mesmo que ele registaria melhoras se aproveitasse a hora do almoço para ter aulas de cozinha japonesa, num open space.

A bem da Nação!
De Nívea samovar a 13 de Dezembro de 2008 às 23:33
Ô lá lá... preclaro Jorge, onde isto já vai e eu sem dar por nada :-)
Curioso como as novas temáticas acordam tanto comentário. Venho atrasada mas insisto em deixar aqui a minha tristeza pela saga polaca ter acabado. Era uma segurança! Um "gajo" sabia que, em vindo aqui, ia aprender umas coisas sobre a Polónia. Agora apanha assim de chofre com uma retretologia cheia de comentários aguerridos que assarapanta o miolo.
Mas pronto. Fizeste-me lembrar que na minha casinha anterior, onde vivi na Normandia, tinha de facto uma divisória minúscula só para a "sanita", com janela para o exterior... mas faltavam os tais acessórios que preconizas e ter de me deslocar ao outro compartimento para lavar as mãos etc e tal era uma canseira. Lá me habituei, que remédio.

Beijos para a Nação e um santo natal :-)

De Jorge Fiel a 16 de Dezembro de 2008 às 09:59
Preclara Nívea

Tu és uma globe trotter. Desconhecia a tua estadia na Normandia.

Pois, como te percebo. A Polónia dava alguma segurança. Mas a essência da Lavandaria é ser - para o melhor e para o pior - um blogue onde tudo pode acontecer.

O que interessa é uma pessoa divertir-se e ser feliz, não achas?

um beijo

A bem da Nação!

Comentar post

Eu ao espelho


Nasci em Maio de 1956 na Maternidade Júlio Dinis. Fiz a primária no Campo 24 de Agosto e o essencial do liceu (concluído entre o Nobre e Gaia) no Alexandre Herculano. Entre os 15 e os 21 anos fui militante da LCI. Li quase tudo que o Marx, o Lenine, o Trotsky e a Rosa Luxemburgo escreveram.
Ler mais

Pesquisar este blog

Entradas recentes

Lavandaria está agora a c...

Moscas anunciam chegada d...

Apaixonei-me pela Bona, a...

Uma folha A4 dobrada em 4...

O café do Europeijska não...

mais comentados

últ. comentários

Tive conhecimento deste vinho," monte ermes", tint...
Num passeio à Ribeira lembrei-me de recordar algum...
prática do sexo anal estaria aumentando?Embora no ...
O autor deste artigo de peixe não sabe nada, por i...
Carissimo, em Espanha o pez espada é o que nós cha...

Arquivos

Abril 2012

Março 2012

Outubro 2011

Agosto 2011

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Maio 2006

Ligações

Tags

todas as tags

blogs SAPO

Subscrever feeds