Quinta-feira, 17 de Janeiro de 2008

Quanto maiores forem as mamas pior é a queca?

Há soutiens, como o desta cidadã, que podem induzir um homem em erro acerca da abundância e firmeza das mamas da portadora

 

O meu amigo Luciano tem a teoria de que quanto maiores forem as mamas pior é a queca.

 

Na verdade, ele não se chama Luciano, mas eu não vou escrever o seu  nome verdadeiro, para evitar que ele deserte da minha cada vez mais curta lista de amigos.

 

E para ser 100% fiel (e eu sou Fiel!), ele não diz queca. Usa uma palavra de quatro letras que começa por f e acaba em a, tendo no meio um o e um d, que apesar de nosso país ser maldito pronunciá-la na Alemanha tem respeitabilidade suficiente para ser o nome porque é conhecido um craque de futebol que joga na Bundesliga.

 

O Luciano fundamenta a sua teoria no facto das mulheres bem fornecidas de peito se terem habituado a repousar à sombra da bananeira, ou seja na enorme capacidade de atracção dos seus activos frontais, e por isso, relaxam, não se esforçando o suficiente na cama – ou na mesa da cozinha, ou no sofá da sala, ou nas escadas de serviço, ou seja em qualquer dos locais que sirva de cenário às hostilidades – para proporcionarem uma boa performance ao parceiro.

 

Eu percebo o que ele quer dizer, apesar de não estar completamente de acordo com a sua teoria, tanto mais que tive a felicidade de conhecer (no sentido bíblico) portentosas excepções à regra do Luciano.

 

Concordo que uma mulher de mamas grandes tem muito melhor imprensa do que uma que saia ao pai. Isso parece-me óbvio e ululante.

 

E o sábio ensinamento que o Luciano nos quer transmitir é que na cama, como em tudo na vida, o segredo é do sucesso é 2% de inspiração e 98% de transpiração.

 

A minha experiência, acumulada nos tempos remotos em que estava activo no mercado, permitiu-me atestar a verdade de sangue do ditado popular que nos adverte para o facto das aparências iludirem.

 

Há tipas que uma pessoa começa logo a sentir a cabeça a andar à roda só de olhar para elas. Pensamos logo que, se por um daqueles acasos em que a vida é fértil, nos apanharmos em cima dela, nem com uma grua nos conseguem de lá tirar.

 

São umas enganadoras essas mulheres que parece respiram e transpiram sexo, nos obrigam a exercitar o pescoço quando nos cruzamos com elas nas ruas, mas fraquejam por completo, como o Fernando Mamede, quando chega o momento da verdade e se revelam insípidas, inodoras e desenxabidas - uns monos paralíticos.

 

Para compensar estas frígidas desilusões, há aquelas gajas pãozinho sem sal, que um tipo não dá nada por elas, mas que depois se revelam umas endiabradas deusas do sexo, dominando uma vastíssima de gama de conhecimentos e recursos, onde não raro está incluída a técnica da vagina sugadora.

 

Creio que aqui o Camões (o Luís Vaz, não o meu amigo Afonso) tinha toda razão quando nos ensinou que a necessidade aguça o engenho.

 

As mulheres prendadas por Deus e pelo Holmes Place com embalagens de luxo, têm tanta procura que já não sentem a necessidade de se superar quando entram em campo.

 

Já às outras só lhes resta seguir a receita palmelã do meu amigo Octávio: Trabalho, muito trabalho. Elas têm de deixar tudo em campo. De se aplicar dentro das quatro linhas por forma a construir uma sólida reputação de competência que lhes garante um ritmo de procura masculina que impeça a formação de teias de aranha no acesso à vagina.  

 

 

 

música: I'm a man, Chicago Transit Authority
publicado por Jorge Fiel às 17:46
link do post | comentar | favorito
69 comentários:
De CRN a 17 de Janeiro de 2008 às 19:34
Sem dúvida que as "magricelas", termo ,para mim, bastante sugestivo e justamente motivado p'la opiniao do seu Camarada, amigo, compañero Luciano, sao o complemento ideal quando nos dispômos a executar o acto sexual. Os motivos que esgrimo para tal afirmaçao podem estar, algo que está ainda por confirmar, relacionados com aqueles que formam a tese desse seu, pelo menos, interlocutor. Nao obstante, fundamental penso ser a manejabilidade , a "leveza" do ser, uma percepçao quase de brincadeira de meninos embebidos no tal espirito que nenhum de nós, penso, aceita perder, ainda que essa seja farinha de outra moagem.
Por outra parte, se considerarmos que o ser humano, ao qual estivermos a tentar tornar mais pesado, pode vir a ser a mae dos nossos petizes, ajuda nos momentos finais, sim porque elas vivem mais que eles, e nao só, deixamos de olha-la com a devassa intençao de usable for today ", passaremos a preferir fêmeas altas e altamente voluptuosas, sempre mantenham aquela relaçao anatómica de 0,68, ou ,69, nao recordo com exactidao . Certo é que queremos todos que os nossos descendentes nos superem fisicamente e evitar gastar em leite de laboratório, se ainda assim nos possibilita a coerência com um mais elevado estatuto social ou uma melhor imagem de marca, passamos a pertencer ao rol daqueles que se deveriam dar conta que a velhice, em rave, está a 20 anos e que será melhor ajuntar-se aos borregos e comer como estes ainda que para depois ser manter fiel faça falta, por vezes, mudar de nome.
De ??? a 18 de Janeiro de 2008 às 11:02
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
De Jorge Fiel a 18 de Janeiro de 2008 às 17:59
Preclaro Caparica

Resumindo e baralhando. Para efeito de sexo puro e selvagem, o preclaro prefere as mulheres mais manejaveis.

Mas quando o objectivo é a reprodução da espécie, o meu amigo favorece as chamadas ancas parideiras.

Não me parece que o seu raciocinio seja destituido de todo.

A Bem da Nação!
De farfalho, o maltês a 17 de Janeiro de 2008 às 21:07
Kekar só pelo que a mama atrai, já foi pelo filho do meu pai. Mas antes de passar pelo que passei.
ah tantos tamanhos dentro do que é kekavel.

Desde que me sairam umas que chegavam à cintura,
que passei a ter cuidado.
É mais seguro ir para o tipo tábua.
De CRN a 17 de Janeiro de 2008 às 21:45
Se sobeja fora da mao,
para mim nao é mama,
pode ser delirio ou mamao.
Para quem mama é teta,
mas à mil anos no Minho,
mamao, é qualquer pateta.



..até parece mentira..
De Anónimo a 18 de Janeiro de 2008 às 00:05
Jorge Fiel

Donde conhece este cromo?
O CRN trabalha ou trabalhou no Expresso e é jornalista?
Acho bem que o "man" se tenha na conta de erudito,mas porra, expliquem-me por favor...
O que é que ele quer dizer?
E 'pescoço vermelho'!
Será algum perú inglês ou algum escuteiro católico
De Jorge Fiel a 18 de Janeiro de 2008 às 18:04
Preclaro Anónimo

Devo informá-lo que não faço a mínima ideia se conheço o preclaro Caparica Red Neck dalgum lado.

Da mesma maneira que também não faço a minima se o conheço a si.

E nada disso me preocupa.

O pescoço vermelho deve ser de ter a pele branca, trabalhar ao sol e não usar protector solar..

A bem da Nação!
De CRN a 18 de Janeiro de 2008 às 18:36
No relativo aos seus 2 ultimos comentários, em suma, efectivamente!

Desde logo, o Camarada Fiel continua a fazer uso da tal, could not expect otherwise, esclarecida sagacidade.

P.D.- O único esclarecimento é que o pescoço nao fica vermelho por trabalhar ao sol, antes p'lo contrário, por trabalhar em atmosfera controlada, nos primeiros dias de praia, sobretudo quando sao férias prolongadas com a familia e amigos, nao tenho outra que aguentar um disparos de melanina demasiado lentos.
De Jorge Fiel a 19 de Janeiro de 2008 às 20:22
Preclaro Caparica

Muito obrigado. Adoro que me achem sagaz!

A bem da Nação!
De ??? a 18 de Janeiro de 2008 às 13:26
???!!!
De Jorge Fiel a 18 de Janeiro de 2008 às 18:04
Preclaro ???

???!!! também para si.

A Bem da Nação!
De Jorge Fiel a 18 de Janeiro de 2008 às 18:01
Preclaro Caparica

O meu amigo e um poetaço. Quer fazer inveja ao Nicolau, ou quê? :-)

A Bem da Nação!
De CRN a 18 de Janeiro de 2008 às 18:43
Parafraseando-me: "Nao há outros mundos senao outros olhos."
Nao me acredito com capacidade suficiente para suscitar inveja a nenhum dos meus semelhantes.

Aqueles que invejam o fútil material, tento e tentarei, que a mim nao se asemelhem (nao me refiro ao Nicolau)!



De ??? a 19 de Janeiro de 2008 às 14:59
???!!!
De Jorge Fiel a 19 de Janeiro de 2008 às 20:20
Preclaro ???

Acho muito arriscado andar sempre por aí com a boca aberta...

Olh, e e se entra mosca???!!!

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 19 de Janeiro de 2008 às 20:19
Preclaro Caparica

O meu amigo arrasa!

A bem da Nação!
De CRN a 19 de Janeiro de 2008 às 23:23
Camarada Fiel,

Os meus mais sinceros agradecimentos pela sua opiniao, a qual, vinda de quem vem, se podería considerar elogiante.

De Jorge Fiel a 18 de Janeiro de 2008 às 18:00
Preclaro Farfalho

Estou a ver que o meu preclaro amigo não se converteu às delícias da sociedade da abundância.

A bem da Nação!
De ZumZumMataMoscas a 18 de Janeiro de 2008 às 01:38
Ouvi dizer que tinha um blog novo e vim cá espreitar.
Acabei de chegar e, realmente, parece mais interessante que o pão seco em que se tinha tornado o seu blog do expresso.
Fez muito bem usar a desculpa de se ausentar para tratar da vesícula para nunca mais ter aparecido.

Em que respeita à eventual relação entre um bom par de mamas e uma boa f ..a, gostaria de acrescentar que se forem 2 bons pares de mamas as possibilidades de ser um bom momento aumentam bastante.
Também convém não esquecer que só poderá existir um verdadeiro problema se a parceira não tiver mamas, pois isso significa que ou teve de as extrair ou nasceu aleijadinha.

De resto, neste mundo de viciados em junk food e em sabor plásticos há muitos que preferem as de silicone. Eu cá sigo preferindo produtos naturais, podem não ter um aspecto tão atractivo mas sabem bem melhor.

PS - Afinal, tirou a vesícula ou não?
De ccor a 18 de Janeiro de 2008 às 10:16
Caro Zum-Zum, seja bem aparecido. Então como tem corrido a sua adaptação a Lisboa? Já está arrependido de ter voltado, ou nem por isso?


cumprimentos
De Jorge Fiel a 18 de Janeiro de 2008 às 18:07
Preclaro ZumZum

Seja bem reaparecido.

Sim. Tirei a vesícula. Se se der à maçada de ver o arquivo de Dezembro terá oportunidade de ler, se quiser, a história em dois capítulos desse acontecimento.

Concordo com a sua opinião acerca do silicone.

A Bem da Nação!
De Bicudinha a 18 de Janeiro de 2008 às 11:33
Fiel:
é desolada q tomo conhecimento da situação em que se encontra, ou seja, antagónica à passada realidade "acumulada nos tempos remotos em que estava activo no mercado"... hihihi...
Ainda assim, pra qm tá na prateleira, ainda conserva uma notável lucidez!
fiquei foi curiosa em saber o q pensa do gadjet "soutien push-up"... qual sua opiniao sobre uso?
e escusa d me tentar enganar a fazer passar-s por desinspirado, pq sei bem q não o é!
responda com sinceridade...a bem da Nação! ;))
De Jorge Fiel a 18 de Janeiro de 2008 às 18:09
Preclara Bicudinha

Sou completamente a favor do «soutien push up» pelo inestimável contributo que dá para o decote.

Eu sou doido por decotes promissores!

A Bem da Nação!
De O Lidador a 19 de Janeiro de 2008 às 08:26
Preclaro Fiel,

Pois eu aqui já sou forçado a discordar, por força das tais "iludências" que "aparudem". Então um tipo vai ficando todo entusiasmado com o resultado desses "wonder bra" e quando chega aos finalmente é forçado a constatar que acabou de cair no conto da "vigária" (se bem que a cavalo dado não se devia olhar o dente, não é)? Resumindo, não curto nada esse tipo de marketing peiteiro (a não ser que seja só para olhar, porque nesse caso até sou fã).

Atentamente,
Gonçalo Mendes da Maia

P.S. - Outra questão que me pareceu deixada de lado (porventura para próximos debates), é que uma tábua que tenha um pandeiro divino, pouca falta lhe fazem as mamas (digo eu, que tempos houve que não podia ver um rabo de saia).
De Jorge Fiel a 19 de Janeiro de 2008 às 20:17
Preclaro Lidador

Pois tem toda a razão. O tema cus terá de ser aqui muita seriamente abordado. Comprometo-me a faze-lo antes da Primavera chegar.

De resto, reafirmo nada me mover contra o «marketing» enganador dos «wonder bra».

Adoro viver uma doce ilusão.

E hoje em dia é tudo relações públicas. Olhe o casamento do Pinto da Costa...

A bem da Nação!
De Abobrinha a 20 de Janeiro de 2008 às 00:40
Bicudinha

Melhor na prateleira que no armário!

6cf88w3
De Bicudinha a 21 de Janeiro de 2008 às 16:18
Cara Abobrinha (ainda nao me deu intimidade pra +, apesar d ser sua freguesa...)
vai ter q fazer o afvor de me traduzir em miudos o significado da historia das prateleiras e dos armários...
sim, pq TB eu sou meia inocente...
faça lá o obsequio...e hj ja nao precisa de fazer + nenhuma boa acção! :)

Fico a espera... sentadita (é capaz d ser melhor!)
De Jorge Fiel a 22 de Janeiro de 2008 às 14:33
Preclara Bicudinha

Aí vai a minha interpretação.

A prateleira não é um destino final. Uma pessoa arruma um livro nuam prateleira (por exemplo na prateleira de uma estante Billy, do Ikea) e depois vai lá busca-lo para consultar e reler quando quiser.

Já o armário é um local de arrumação mais definitivo - e quando uma pessoa sai do armário é para anunciar que passou a alinhar pelo outro time...

A bem da Nação!
De Abobrinha a 22 de Janeiro de 2008 às 20:54
Bicudinha (isso é que é um nick!)

Só demonstra que tem bom gosto ao revelar ser minha freguesa.

Só agora respondo porque só agora vi o comentário: odeio este formato de comentários, assim todos os espalhados.

Eu não fazia ideia do que era a prateleira, sinceramente. Mas a interpretação do Jorge Fiel é excelente. Quanto ao armário... é ponto de não retorno de que fala o Jorge Fiel: atracar de ré, pegar de empurrão... ser basicamente... gay! Nada contra a tendência em si, mas prejudica seriamente a contabilidade das gajas. Que já anda pela hora da morte!

Eu respondo sempre ao que me perguntam. Se lê os disparates que escrevo sabe que às vezes teria sido mais acertado estar caladinha, mas isso já é outra história. Mas repito: demonstra grande bom gosto ao revelar-se minha leitora.

A Abobrinha segue dentro de momentos (não sei quando). Agora estou ocupada a sentir pena de mim mesma.

gtzzg2y
De Abobrinha a 18 de Janeiro de 2008 às 12:03
Guru

Tenho-lhe dado grande divulgação no meu estabelecimento. Como quase toda a minha lógica, parte dela é assim um bocadinho (mesmo só ligeiramente!) retorcida. Por exemplo, quando larguei esta bomba: O Jorge Fiel é má língua!

http://aboborapequenina.blogspot.com/2008/01/grande-revelao-da-abobrinha-o-jorge.html

E depois há um outro Jorge no meu estabelecimento. Diz ele! A dada altura ainda pensei que fosse um Jorge que faz chichi sentado, mas pela conversa quer-me parecer que faz chichi em pé: é patético demais e quer-me parecer que não saberia mexer numa mulher nem que esta viesse com um manual de instruções interactivo!

4kf53v2
De Jorge Fiel a 18 de Janeiro de 2008 às 18:11
Preclara Abobrinha

Deixou-me em pulgas. Mal acabe de responder a estes comentários vou ao seu blogue.

Relativamente ao manuseio das mulheres, não há nada que chegue ao saber camoniano, de experiência feito.

A Bem da Nação!
De farfalho, o maltês a 18 de Janeiro de 2008 às 12:44
bobrinha,
o fiel é ma lingua e deve ser mau em tudo o que toca a mulher.

Nem lingua, nem dedo, nem nada. Um infeliz.

Sempre gostava de ver a cara de uma mulher depois de o largar.!!!!!!!!!

ahahahahahahahaha
De Jorge Fiel a 18 de Janeiro de 2008 às 18:12
Preclaro Farfalho

Fino como um coral!

A si não o engano!

Como é que adivinhou que eu sou um triste e infeliz?

A Bem da Nação!
De Porthos a 18 de Janeiro de 2008 às 14:08
Já não sei mais que dizer.

Adoro os seus textos e adorava ter a sua imaginação na escolha dos temas!

Resolvi escrever, primeiro porque gosto de mamas grandes e tenho tido boas experiências com as mesmas, segundo porque tenho uma teoria parecida à sua mas relativamente às mulheres com o nariz grande, também esta por experiência própria.

Eu acho que um grande nariz leva a uma grande queca , no entanto, e depois de ler o post , cheguei à conclusão que não tenho nenhuma explicação lógica para fundamentar a teoria, pelo que ....vou pensar nisso!

Um abraço
De Jorge Fiel a 18 de Janeiro de 2008 às 18:15
Preclaro Porthos

Em poucas linhas o meu amigo revelou duplamente e à saciedade um gosto refinado e requintado.

Gosta dos meus textos e de mamas grandes! Boa! :-)

Pois isso do nariz grande é uma coisa para averiguar. Muito obrigado. É uma pista interessante!

A Bem da Nação!
De Bicudinha a 21 de Janeiro de 2008 às 16:21
ora...
eu, possuidora de um nariz grande... fico a aguardar desenvolvimentos!
(apenas pq ninguém é bom juiz em causa pp...nao m vou armar no que sou...)
;)))
De Jorge Fiel a 22 de Janeiro de 2008 às 14:34
Preclara Bicudinha

Vá lá, não seja modesta...

A bem da Nação!
De Abobrinha a 22 de Janeiro de 2008 às 20:57
Posso revelar em primeira mão quem é a Bicudinha: é a Cleópatra! Cuidado, que anda aí o Ramsés!

52gwfya
De Bicudinha a 23 de Janeiro de 2008 às 11:38
Ora... já me chamaram mts coisas...agora Cleopatra, é mm uma 'premiere'... ;)
o + parecido que tenho com a dita é mm o nariz, apesar de nao se compararem em termos de tamanho...o dela bate o meu aos pontos...
Lamento desiludir...
mas aceitam-se + palpites imaginativos... :P

a ilustre desconhecida, vulgo Bicudinha!
De Jorge Fiel a 23 de Janeiro de 2008 às 14:47
Preclara Bicudinha

Ora cá está uma resposta que eu considero cândida.

Confesso que na minha tenra adolescência tive sonhos eróticos com a Elisabeth Taylor na banheira a fazer de Cleópatra.

O Richard Burton é que tirou o devido sarro na época certa! Lucky guy!

A bem da Nação!
De farfalho, o maltês a 18 de Janeiro de 2008 às 20:15
mamas grandes aonde, oh porthos?

Deixa lá o infeliz mamar sósinho.
De Jorge Fiel a 19 de Janeiro de 2008 às 20:10
Preclaro Farfalho

Entrou em guerra com os Z?

Porquê?

Olhe que suspeito esteja sozinho nessa guerra...

A bem da Nação!
De Cebola a 18 de Janeiro de 2008 às 19:15
Epá..........o seu amigo deve ter razão, pois quanto mais puxo pela memoria, mais concordo com ele.
Eu associo o bom desempenho ás magras, que por sua vez tem os seios pequenos (regra geral), mas para os preliminares nada melhor que uma boa mama.
Boas recordações que este post me trouxe, mas já estou a fazer contas aos anos e estou a estragar isto tudo.

Um abraço!
De ??? a 18 de Janeiro de 2008 às 19:31
Cebola

"uma boa mama" ou uma boa mamada???
De Cebola a 19 de Janeiro de 2008 às 10:34
Boas,
Branco ou tinto?
Cheio..........
De ??? a 19 de Janeiro de 2008 às 15:12
Cebola

Há que juntar o útil ao agradável: uma boa mamada e umas boas mamas a ajudar...

Cá para mim, corro o risco... mamas grandes. Depois logo se decide como tirar o melhor partido delas.

As mulheres assim dotadas, tendo maior procura, também têm mais experiência. Elas sabem bem o que nós procuramos e oferecem-nos sempre as "bóias de salvação".

Contudo, não há nada como a mulher pequenina e com tudo no lugar...

Venham elas, pequenas e grandes, com pequenas e grandes, desde que haja "aquele não sei quê" que nos faz saltar (corrigindo: fazia saltar) os botões da braguilha.
De Jorge Fiel a 19 de Janeiro de 2008 às 20:14
Preclaro ???

E se fosse um fecho eclair?

A bem da Nação!
De ??? a 20 de Janeiro de 2008 às 02:08

ah leão!!!
De Jorge Fiel a 22 de Janeiro de 2008 às 14:35
Preclao ???

Hoje em dia uma pessoa tem de estar preparada para tudo!

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 19 de Janeiro de 2008 às 20:12
Preclaro Cebola

Também está bem respondido!

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 19 de Janeiro de 2008 às 20:12
Preclaro ???

Uma coisa não impede a outra!

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 19 de Janeiro de 2008 às 20:11
Preclaro Cebola

Recordar é viver outra vez :-)

A bem da Nação!
De Abobrinha a 20 de Janeiro de 2008 às 01:02
Guru

Esta gente não sabe javardar um post com este potencial? C'os diabos!

Ora bem, antes de mais (e não desfazendo), o seu amigo "Luciano" deve ser assim um bocado a pender para o totó (e sai pouco). Normalmente quando um gajo se queixa de uma gaja, o que não quer mesmo é admitir que não foi capaz de a fazer entrar em órbita. Traduzindo, o seu amigo passou a si mesmo um grandecíssimo atestado de incompetência, a pretexto das mamas grandes.

A outra explicação é que o seu amigo nunca tenha deitado a mão a um exemplar com essa características. Daí optou pela táctica da raposa perante o cacho de uvas a que não chega: são verdes! A ver se lhe cai alguma no cesto!

Sabe que mais vale uma mama na mão que duas no soutien. Este dito não especifica se o soutien é tipo "balcony" ou se é simplesmente um par de trapos pendurados por umas alcinhas.

Gaja que é gaja não se limita aos seios nem a mais aspecto nenhum. Só um homem é que não sabe isso. Mas como tem tudo ao alcance dos olhos, acha que isso lhe dá o direito de opinar acerca de tudo e de todas. Senão veja: analisam-nos o rabo, os seios, o rosto, as ancas, o cabelo. Tudo isto à vista! TUdo sujeito ao vosso escrutínio até ao mais ínfimo detalhe.

Já nós temos que nos contentar em aceitar a calvície como perfeitamente normal, assim como a barriguinha de cerveja, a falta de exercício e o pouco investimento no aspecto em geral. Mais: achar que tudo isso é de macho, como oposto de ser maricas! E por acaso temos acesso às vossas curvas em detalhe ou à vossa (ahem) dimensão humana a olho nú? Nada! Nicles! E mesmo que tivéssemos, há homens que nem com manual de instruções interactivo saberiam mexer numa mulher ou saber dizer-lhe como melhor lhe mexer a ele. E não me venha com o saber de experiência feito: às vezes a repetição só serve para perpetuar vícios e imperfeições.

Estou desiludido consigo: devia catequisar o seu amigo e alertá-lo para a sua incompetência... e má língua! Sabe que não há mulheres frígidas: o que há são más línguas!

Afinal, a sua conduta no "Roupa para Lavar" (e o post que me levou a meter-me consigo) exigia minimamente 10 minutos para o coisa e tal! Onde está esse Jorge Fiel?

(Ora porra! Como comentário provocatório o meu também está fraquinho! Murcho mesmo! Não como o Desidério Murcho, que escreve umas coisas engraçadas e de muita sabedura: murcho mesmo! Deve ser da má língua do Jorge. O outro, o que não é o Guru. Ou então ando mesmo em baixo de forma com a falta de luz! Fazemos assim: eu volto!)

dr8w3f9
De ??? a 20 de Janeiro de 2008 às 02:13

A propósito... no cu não vai nada???
De Jorge Fiel a 22 de Janeiro de 2008 às 14:41
Preclaro ???

Comporte-se, pf!

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 22 de Janeiro de 2008 às 14:42
Chéire Abobrinha

Uff, deixou-me sem fôlego, com a leitura do seu comentário.

A chérie é muito exigente.

A bem da Nação!
De Abobrinha a 22 de Janeiro de 2008 às 21:07
Guru

Essa do deixar sem fôlego tem muito que se lhe diga. Cuidado, que ainda pode ser mal interpretado e, ao contrário do que alguns pensam, eu não tiro o fôlego a homens casados. (Entendi o que queria dizer, mas queria só dar uma aura dramática à coisa)

Eu não sou muito exigente: estava a javardar. Mas já com um grão da melancolia que entretanto se abateu sobre mim a contaminar o sistema.

Mas olhe que os homens são exigentes demais. E o que dão em troca? A maioria nada! Eu e muitas mulheres damos tudo. Isso não é justo! A vida não é justa!

E diga ao seu amigo "Luciano" que eu disse para ele se ir montar num porco (isso é uma expressão excelente, onde é que arranjou isso?).

rreaakn
De annita a 21 de Janeiro de 2008 às 10:20
Já não se usam mamas grandes ... quem ainda as tem é porque está em lista de espera p/ a operação de redução ... até porque faz dor de costas ... e é feio ... Então mamas grandes descaídas ... é do pior ...
De ??? a 21 de Janeiro de 2008 às 12:06
Não se usam???

Usam, usam!!!
De ZumZumMataMoscas a 22 de Janeiro de 2008 às 01:19
Annita,

Cara vizinha, concordo consigo.
Mama que não caiba na mão já é a tirar ao grande.
Além disso, as mulheres que têm mamas grandes têm dificuldade em fazer desporto, pelo que, ou fazem dieta e andam sempre mal dispostas, ou então engordam e perdem parte do atractivo.
Além disso, hoje em dia qualquer lambisgóia manda por um bom par de mamas, pelo que já não é nada de especial.
Isso sim, um bom traseiro é bem mais difícil de ter e manter.

http:/ zumzummatamoscas.blogspot.com /

De Jorge Fiel a 22 de Janeiro de 2008 às 14:44
Preclaro ZumZum

Discordo de si quanto às mamas, mas estou de acordo com a urgência em tratar aqui, com profundidade, a magna e candente questão do traseiro.

A bem da Nação!
De Jorge Fiel a 22 de Janeiro de 2008 às 14:40
Doce Annita

Quer-me parecer que nem todas as mulheres com equpamento mamário de origem dos tamanhos XL ou daí para cima acha necessário proceder cirugicamente à redução da capacidade instalada.

E quer-me também parecer que as mamas grandes são como o bikini - nunca saem de moda.

Qunado ao facto de descairem, a vida é assim e a força da gravidade afecta a todos.

A bem da Nação!

Comentar post

Eu ao espelho


Nasci em Maio de 1956 na Maternidade Júlio Dinis. Fiz a primária no Campo 24 de Agosto e o essencial do liceu (concluído entre o Nobre e Gaia) no Alexandre Herculano. Entre os 15 e os 21 anos fui militante da LCI. Li quase tudo que o Marx, o Lenine, o Trotsky e a Rosa Luxemburgo escreveram.
Ler mais

Pesquisar este blog

Entradas recentes

Lavandaria está agora a c...

Moscas anunciam chegada d...

Apaixonei-me pela Bona, a...

Uma folha A4 dobrada em 4...

O café do Europeijska não...

mais comentados

últ. comentários

Num passeio à Ribeira lembrei-me de recordar algum...
prática do sexo anal estaria aumentando?Embora no ...
O autor deste artigo de peixe não sabe nada, por i...
Carissimo, em Espanha o pez espada é o que nós cha...
Na Galiza o rodovalho tem o mesmo nome. O pregado ...

Arquivos

Abril 2012

Março 2012

Outubro 2011

Agosto 2011

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Maio 2006

Ligações

Tags

todas as tags

blogs SAPO

Subscrever feeds