Sexta-feira, 12 de Fevereiro de 2010

A minha experiência Prêt à Manger

 

Não é por acaso que a palavra charme é francesa.  Também não é por acaso que não foram os austríacos a inventar o champanhe (se bem que há quem lhes credite o mérito da criação do croissant), nem os suecos a produzir o Roquefort, nem os americanos a servir de berço à Louis Vuitton. A França tem a imagem associada a bom gosto, luxo e joie de vivre e os franceses sabem perfeitamente tirar partido disso – mas não sãos os únicos.

Vem este arrazoado a propósito da feliz escolha de um nome francês - Prêt à Manger - para uma cadeia anglo saxónica de comida rápida e look saudável, cuja geografia de expansão se limita, por agora, ao Reino Unido, Estados Unidos da América e Hong Kong.

A Prêt à Manger tem cerca de 150 lojas em Londres, uma presença mais massiva que a McDonalds, e mesmo que a Eat. (nome também muito apanhado, devo dizer), a sua concorrente directa no segmento da healthy fast food.

Pusemos o ponto final ao segundo dia da nossa estadia londrina, jantando no Prêt a Manger de Oxford Street, mesmo junto a Tottenham Court Road, onde verifiquei que o tipo de comida e o preço está alinhado com a nossa Go Natural, sendo que, no entanto, a oferta (sushis, wraps, sanduíches, sopas, pastas e saladas) é muito maior e mais diversificada.

Optei por uma sanduíche de scottish smoked salmon, empurrada por uma Coke light. Esta minha experiência Prêt à Manger ficou marcada por duas informações curiosas:

1.     Cobram uma libra pelo aluguer do espaço. Se declararmos que vamos dine in acrescentam uma libra por cabeça ao preço da refeição, o que me parece uma taxa um tudo nada exorbitante, mas perfeitamente contornável. Uma tipa que estava ao meu lado a pagar declarou estar na modalidade take away e depois sentou-se muito descontraidamente numa mesa;

 

2.     Vendem uma baguete tipo franciu e com uma ar de pão fresco e uma pacote de manteiga por 50 p, uma opção muito económica para pequeno almoço, ou para matar a fominha em caso de aflição.

West End, noite de sábado, 5 de Dezembro 2009

música: Waterloo Sunset, Kinks
Tags:
publicado por Jorge Fiel às 18:08
link do post | comentar | favorito

Eu ao espelho


Nasci em Maio de 1956 na Maternidade Júlio Dinis. Fiz a primária no Campo 24 de Agosto e o essencial do liceu (concluído entre o Nobre e Gaia) no Alexandre Herculano. Entre os 15 e os 21 anos fui militante da LCI. Li quase tudo que o Marx, o Lenine, o Trotsky e a Rosa Luxemburgo escreveram.
Ler mais

Pesquisar este blog

Entradas recentes

Lavandaria está agora a c...

Moscas anunciam chegada d...

Apaixonei-me pela Bona, a...

Uma folha A4 dobrada em 4...

O café do Europeijska não...

mais comentados

últ. comentários

Há uma boa forma de distinguir um do outro; é ir à...
Tive conhecimento deste vinho," monte ermes", tint...
Num passeio à Ribeira lembrei-me de recordar algum...
prática do sexo anal estaria aumentando?Embora no ...
O autor deste artigo de peixe não sabe nada, por i...

Arquivos

Abril 2012

Março 2012

Outubro 2011

Agosto 2011

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Maio 2006

Tags

todas as tags

blogs SAPO

Subscrever feeds